FANDOM


— Aah! A visita já acabou? Eu nem tive tempo de cumprimentá-los! — Violette disse desapontada enquanto era empurrada por Vicky até o quarto das Borboletas.

— Nós precisamos dormir para repor a energia, mas não se preocupe, teremos tempo suficiente para visitá-los amanhã. — Vicky colocou Violette em sua cama, cobre seu corpo com o cobertor e lhe dá um beijo de boa noite, se deitando em seguida. — Ah, e não se esqueça, a nossa visita é o nosso segredo. — Ela sussurra e Violette consente com a cabeça.

Um close no rosto de Vicky revela um olhar fatal e a cena muda para o quarto dos Golfinhos, agora de manhã.

— MAY! ROCKY! TROYE! — Catherine gritou em desespero enquanto tenta mexer-se e percebe que está com o corpo grudado na cama. — Eu não consigo mover nenhum músculo!

 — O que aconteceu? — May se levanta, surpresa. — Catherine! Seu suéter, seu cobertor... Você está cheia de cola!

— May! O seu rosto está todo rabiscado! — Rocky aponta para May e seu cotovelo acaba encostando em uma sacola plástica. — Essa é uma das minhas tranças? — Ela perguntou desconfiada, segurando a sacola com o polegar e o indicador.

May ergue seu rosto para vê-lo através do piso do quarto.

— Vicky! — Ela comentou, erguendo o punho com raiva. — Eu não acredito que ela foi baixa a ponto de invadir o nosso quarto e mexer nos nossos pertences. Isso é uma infração gravíssima das regras, ela merece ser punida!

Rocky ajuda Catherine a se livrar da cola com álcool isopropílico e papel toalha.

— Obrigada, Rocky! — Catherine diz, afastando-se com cuidado da cama. — Meninas, acho que nós devíamos primeiro preparar o café da manhã e depois tirar satisfações com a Aurora. Do jeito que ela é louca, é capaz de nos deixar passando fome durante o desafio.

— Café da manhã? Ah, é hoje que vai ter churrasco de galinha! — Rocky diz, batendo os pés com força e caminhando até a cozinha.

No confessionário — Se é assim que a Vicky quer, é assim que vai ser. — Rocky diz e o confessionário acaba.

— Rocky? O que você está pensando em fazer? — Catherine pergunta com preocupação, correndo atrás da amiga.

— Troye, tudo bem com você? — May perguntou, aproximando-se de sua cama e colocando a mão em seu peito. — Seu tórax está instável, sua respiração está paradoxal. Por favor, não me deixe preocupada… — Ela o abraça.

A cena muda para a cozinha.

— Rocky, espera! Por favor, não tome nenhuma decisão precipitada! — Catherine disse, tentando segurá-la pelos braços, ineficiente.

— O que você acha que está fazendo se aproximando da nossa mesa, sua ridícula? — Vicky começou.

— Oh garota, baixa essa bola que tu não tem moral pra falar com ela nesse tom! — Penny disse em um tom ameaçador, se levantando da mesa.

— Ah, é? — Vicky franziu o cenho. — E o que foi agora, vocês vão fazer um complô?

No confessionário — Digamos que as coisas fugiram um pouco do controle… — Catherine coloca a mão na nuca e o confessionário acaba. 

— Eu vou te mostrar o que eu vou fazer. — Rocky pega um copo de suco de cenoura da mesa dos Gorilas e joga no rosto de Vicky, arrancando risada dos outros, com exceção de Catherine, Damian e Vandella. — Ficou incrível! — Ela aplaudiu.

— É impressionante, nem molhada você consegue apagar o fogo desse rabo. — Penny gargalha e todos riram ainda mais.

— Violette? — Vicky se vira com raiva para Violette, que tenta segurar o riso.

No confessionário — Eu gosto da Vicky, mesmo, mas… — Ela riu e continuou — Isso foi hilário! A maquiagem dela ficou um horror. Eu espero que a Vicky não fique muito brava comigo. — O confessionário acaba.

— Ha, ha, ha, muito engraçado, Rocky! — Ela disse de forma fria — Você me aguarda! O que é seu tá guardado. — Vicky resmungou, caminhando até o banheiro.

— Ui, estou esperando, linda! — Rocky debochou enquanto ria com Penny.

Damian pigarreou.

— Muito engraçada a sua brincadeira Rocky, mas ninguém te deu permissão para tocar no suco de cenoura da nossa mesa, agora nós teremos que refazê-lo e o prejuízo será nosso. — Ele disse com desprezo.

— Foi por uma causa maior, vocês já fizeram a boa ação do ano. — Rocky disse, colocando sua mão no ombro de Damian.

— … — Damian ficou em silêncio — Você está falando sério? — Perguntou, erguendo as sobrancelhas.

— Sim, estou. — Disse, dando uma risadinha.

— Damian, nós podemos te emprestar alguns dos nossos ingredientes em compensação. — Catherine disse, soando um pouco preocupada. — Rocky, por favor, já chega de arrumar intriga, você vai acabar nos prejudicando. 

— Como queira. — Rocky disse, olhando em direção à Catherine. Penny solta um riso abafado. — Eu só estou me divertindo um pouco. 

A voz de Aurora soa por todos os cantos da casa. — Atenção, jovens! O próximo desafio aguarda por vocês na parte externa! Apressem essas bocas!

No confessionário — Engraçado ela dizer isso sendo que até agora a única equipe que conseguiu comer o café da manhã sem interrupção foram as Borboletas. Esse favoritismo descarado me enoja! — Rocky diz e o confessionário acaba.

May e Troye desceram para a cozinha juntos.

— Ah, meninas! Vocês já começaram a preparar o café da manhã? — May perguntou, sem entender porque os Gorilas estavam a encarando.

No confessionário — É  verdade que a Vandella gosta de usar maquiagens extravagantes, mas desenhar dois olhos esbugalhados no próprio rosto e escrever “perdedora“ na testa ultrapassa todos os limites do bom senso. — Luke comenta e o confessionário acaba.

— A Rocky teve um pequeno desentendimento com o Damian e a Vicky e nós tivemos que oferecer uma parcela dos nossos ingredientes, mas já está tudo bem agora. Como você e o Troye não tinham descido ainda nós guardamos uma parte para vocês.

— Obrigada! — May sorriu, segurando o café da manhã. — Gentileza da sua parte, Cathy.

— Você está melhor, Troye? — Rocky perguntou. 

— Eu… — Ele disse, baixinho. 

Um flashback mostra Troye abrindo os olhos e dando de cara com Vicky no episódio anterior. 

— Troye? Algum problema? Você está me ouvindo? — Era a voz de May. 

— Alô-ô, Troye? Você me ouviu? — Rocky perguntou. 

— Hã? Eu… Desculpe, eu me distraí. — Ele respondeu, confuso, voltando para a realidade. — Pode falar! 

— Eu perguntei se você está melhor. No que você estava pensando? 

— Em nada, deixa pra lá. — Disse, tentando desviar o assunto. — Mas eu estou melhor sim. 

Os times se reúnem no jardim com um clima de tensão. Aurora puxa seu telão.

— Olá, meus competidores queridos! Sem chorumelas, vamos direto ao ponto! — Aurora usa seu bastão para projetar um mapa do jardim. — O primeiro desafio de vocês hoje será um desafio simples, todos irão ganhar bicicletas, mas devido ao incidente com o robô de Eliott na última vez nós decidimos tomar algumas precauções e vocês já ganharão as bicicletas prontas, mas há um porém. Terão que alcançar esse trajeto. — Ela mostra uma área especifica na floresta. — usando esse caminho. Vocês formarão dupla com outro competidor, mas a ordem das duplas é selecionada aleatoriamente, o que quer dizer que vocês não irão necessariamente formar dupla com um membro de sua própria equipe. — Ela distribui pulseiras tecnológicas individualmente aos competidores que irá revelar com quem cada um formará dupla, sendo controladas diretamente de seu tablet. — Como nós iremos resolver isso é simples: assim que vocês cruzarem a linha de chegada, o segundo desafio estará esperando por vocês, mas em casos de duplas com membros de equipes diferentes, apenas o membro que terminar primeiro ganhará pontos.

Logan levanta sua mão.

— Sim, Logan?

— E o que acontece se o membro da equipe que terminar primeiro errar, seja lá o que for o  desafio? Os pontos são transferidos para o membro da outra equipe?

— Nesse caso, o membro da outra equipe terá a sua tentativa de acertar, mas caso ele também erre, ambas as equipes perderão pontos ao invés de ganharem. Boa sorte a todos! — Ela toca no ícone de buzina na tela e os times correm. 

Catherine e Penny foram as primeiras a subir na bicicleta.

— E aí, colega? — Ela disse enquanto cumprimentava Catherine. — Tem problema se eu dirigir?

— Pisa fundo! — Catherine sorriu.

Logan e Violette foram os próximos.

— Eu dirijo! — Logan diz, confiante. — Todo mundo sabe que o senso de direção dos homens é melhor que o das mulheres. — Antes que Violette pudesse responder, ele começou a pedalar em direção a linha de chegada.

— Olhe, uma linda borboleta! — Ela disse, sorrindo. — Borboletas são tão majestosas! 

— Oh, você tem razão, é mesmo uma linda borboleta! — Ambos se distraem encarando a borboleta e Logan faz com que a bicicleta bata na direção de uma árvore, fazendo com que os dois rolassem no chão.

— Ai! Doeu! — Violette disse, massageando o nariz.

Logo em seguida, Damian e Rocky chegaram em sua bicicleta.

— Tá bom, pode subir. — Damian disse, montando na bicicleta.

— O que? Nada disso! — Rocky contestou.

— Por que? Você tem alguma objeção?

— Er… Sim. Eu vou dirigir, eu não confio no seu senso de direção.

— Ah, qual é! — Ele bufou. Eu fiz alguma coisa pra você? Algo que você não tenha gostado? A cena que você fez durante o café da manhã já não é o suficiente? — Damian alfinetou, lembrando que a rivalidade deles começou quando Rocky debochou de Vicky.

— Epa! Como é? — Rocky exclamou. — Me diga que o banana que não defende nem a garota mais problemática daqui não disse isso!

— Você está ficando doida? — Damian perguntou, começando a repreender. — Aprenda a ser mais controlada que nem as suas amigas!

Troye e Vicky foram os próximos.

— Você dirige, mané! — Vicky disse, empurrando a bicicleta. — Eu não vou encostar nesse guidão nojento.

Troye sobe e Vicky não fica para trás, mas cruza os braços e fecha os olhos.

— Então… Além de trapaceira você é invasora de quartos nas horas vagas? — Troye comentou, indo mais rápido.

— Como assim? — Vicky ficou paralisada. — Pare de me provocar, porque eu não vou cair no seu joguinho!

No confessionário — Os nerds querem testar a minha paciência a qualquer custo, mas eu não vou ceder. — O confessionário acaba, com Vicky encarando a câmera.

— Então você sabe do que eu estou falando. — Troye disse com um sorriso no rosto.

— Não.

— Você tem certeza? — Ele perguntou, começando a encará-la, mas ainda concentrado para não esbarrar em nada.

— Olha aqui, você cometeu um erro terrível, ruivo! — Ela se irritou. — É melhor ficar de boca fechada, pro seu próprio bem!

— Blá, blá, blá. — Gesticulou uma boca com as mãos. — Você é que está cometendo um erro terrível infringindo as regras desse jeito. — Troye vira para frente. — Cathy e Penny estão logo a frente, nós ainda podemos ultrapassá-las. Se segure firme!

— Pft! Quem você pensa que é para me dar ordens? Era só o que faltava! — Vicky disse, tentando não olhar diretamente nos olhos dele.

Troye pedala mais rápido e Vicky se assusta, o abraçando com força em suas costas. Eles se igualam a Catherine e Penny.

— Idiota! — Ela gritou. — O que você pensa que está fazendo? Pelo visto todos os Golfinhos são uns idiotas! — Vicky cora, apertando-o com mais força.

— Qual o problema, sirigaita? Não tá gostando do vento na perseguida? — Penny chora de rir, pedalando com mais frequência.

— Não me provoque, eu estou começando a perder a paciência com você! — Vicky retrucou.

E as últimas a pegarem uma bicicleta, May e Vandella tentam alcançar os outros competidores.

— Fiquei sabendo que você e a Cathy são amigas bem próximas Ella, é verdade? — May perguntou, se lembrando de quando as flagrou no armazém abandonado.

— ... — Vandella mantém o silêncio.

— Ah, eu esqueci que você não é muito de falar, abafa! — May pedala mais rápido e Damian e Rocky passam a ser os últimos competidores.

— Girl power! Catherine e Penny são as primeiras a cruzarem a linha de chegada, acompanhadas de Troye e Vicky.

— Vicky! Nós já chegamos, você pode me soltar agora. — Troye disse. — Eu te ajudo a descer da bicicleta.

— Não precisa! — Vicky disse, ainda vermelha. — Tudo bem. — Ela suspirou. — A gente se vê, ruivo. Ou melhor, não, eu não quero te ver nunca mais.

— Nossa, que crueldade! — Disse com ironia.

Muito bem, agora damos início a segunda parte do desafio. — Aurora caminha até um tronco cortado com objetos diferentes em cima. — Cada um desses objetos faz parte de uma determinada cultura, com toda uma história por trás, carregando um significado. E é claro que quando se trata de cultura não podíamos esquecer nossos ajudantes especiais, vem cá, Sakina e Tigre! — Aurora estica o braço para uma árvore, fazendo com que Sakina e Tigre caminhassem até a sua direção.

— Quem são esses aí mesmo? Não os conheço. — Vicky bocejou.

— Como duas de vocês fazem parte das Borboletas e os outros dois fazem parte dos Golfinhos, e nós ainda podemos considerar que o Luke ficou de fora do desafio, os Gorilas já perderam e irão passar uma noite no porão. Agora dependendo da quantidade de pontos que vocês fizerem, nós iremos descobrir qual equipe terá mais privilégios no castelo. — Aurora estala os dedos.

— “Qual dos instrumentos abaixo já foi utilizado como comunicação e como registro contábil e registro mnemotécnicos entre a civilização que se tornou o maior império da  América pré-colombiana?” — Tigre perguntou.

— Seria esse? — Penny levanta um arco e flecha de madeira.

— O que? Você é burra ou só se faz? Como um arco e flecha poderia ser utilizado como comunicação? — Vicky respondeu com ignorância.

— Tá me tirando, mocreia? Eles podem ser usados para indicar uma direção dependendo de para onde são apontados, podem ser usados para criar sinais de fumaça e dependendo das pessoas que mantém sua posse podem até ser usado como um tipo de código morse. — Penny retrucou.

— A resposta é esse instrumento, o quipo. Cordões feitos de lãs de lhama, alpaca ou de algodão usados como comunicação entre os incas. — Catherine disse entregando-o para Tigre.

— Parabéns, Cathy, foi uma ótima colocação e bem direta! — Aurora disse, batendo palmas. — Com isso, os Golfinhos disparam na frente. Se os Golfinhos acertarem a próxima pergunta ou se as Borboletas errarem, automaticamente os Golfinhos serão os ganhadores! Agora é a vez da pergunta da Sakina.

May e Vandella são as próximas a frearem a bicicleta, depois de terem ultrapassado Logan e Violette.

— Cheguei tarde pra reunião dos ganhadores? — May perguntou, caminhando lado a lado com Vandella, que trocou olhares com Catherine.

— Shukria, Aurora! A pergunta é: “Qual desses animais é considerado o símbolo da boa sorte, além de sabedoria,  persistência, determinação, solidariedade, sociabilidade, amizade, companheirismo, memória, longevidade e poder?”.

Penny pegou uma Fênix sem hesitar.

— A Fênix é um pássaro lendário de alguma mitologia aí que era a única da espécie, que é conhecida por renascer das próprias cinzas. Se ela abrange um significado como esse, pode muito bem representar todas essas coisas que foram ditas.

— Não, sua estúpida! — Vicky discorda. — A Fênix seria uma coisa óbvia demais, essas perguntas geralmente tem uma resposta enorme que passa despercebida, uma coisa bem subliminar mesmo, por isso eu acho que é a borboleta. — Ela levanta a borboleta. — A borboleta é considerada um símbolo de ressurreição, além de representar a saída do túmulo. Cada borboleta tem um significado através de suas cores, a borboleta azul é uma referência a metamorfose, que seria o processo de amadurecimento que os seres humanos passam ao longo da vida, as coloridas são mensageiras da alegria e da felicidade, as pretas são mensageiras da morte, além de muitos outros significados, e é claro que essa borboleta representa a nossa equipe, as Borboletas Deslumbrantes, e a vitória que nós acabamos de levar. 

Troye dá uma risada leve.

— O animal que é considerado o símbolo da boa sorte, sabedoria, persistência, determinação, solidariedade, sociabilidade, amizade, companheirismo, memória, longevidade e poder é um animal que representa poder soberano tanto na Ásia como na África, o elefante. — Ele levanta o elefante.

— Tik,  Tik! Você está mais que certo, Troye! Parabéns! — Sakina comemorou.

— Bom, o resultado já é óbvio, mas os Gorilas perderam essa noite! Se as Borboletas não tivessem tanta sorte, teriam perdido mais um membro, apesar de serem a equipe atual com a menor quantidade de membros. — Aurora sorri. — Gorilas, vejo vocês na eliminação hoje à noite!

Catherine e Troye se abraçam, deixando Vicky irritada.

A cena muda para o porão, onde os Gorilas (e Vicky) esperam pelos resultados.

— Temos todos os votos, e quem está salvo hoje é... Vandella! — Ela joga um brioche para Vandella. — E também, Damian! — Ela joga um brioche na mão de Damian, enquanto ele encara Vicky com um sorriso malicioso. — A berlinda de hoje não é nenhuma surpresa para vocês! Logan se distraiu encarando a borboleta ao invés de focar apenas no desafio, o que foi um fardo, além de fazer um comentário machista para Violette, lembrando que o mesmo fez um comentário racista anteriormente e Luke não participou do desafio pois não teria com quem formar dupla, deixando os Gorilas em desvantagem. E o último brioche vai para... — O clima fica tenso por instantes. — Luke!

— O QUE?! — Logan grita. — O Damian ficou o tempo todo batendo boca com a Rocky, eles nem chegaram a montar na bicicleta e mesmo assim eu estou sendo culpado de carregar a derrota?

— Eu não posso fazer nada, a votação foi unânime e Damian não pode fazer nada a não ser que ceda sua imunidade. — Aurora não parecia se importar. — E além disso, é melhor sair com a dignidade preservada sem ter cumprido o desafio do que ter feito e passar vexame em TV mundial. Estagiários, levem ele para a dama! 

— Não!!!! — Logan gritou, mas é carregado até a dama por dois estagiários, que superam sua resistência.

Aurora o provoca e fecha as portas. A dama de ferro libera a fumaça e abre, sem ninguém dentro. — Isso é tudo por hoje em DRAMA! TOTAL! O CASTELO ASSOMBRADO!

A cena muda para o banheiro.

— Eu já disse o quanto eu não gosto de você? — Damian pressiona o corpo de Vicky contra o seu em um beijo, a deixando sem ar. — O seu corpo me implora para ser explorado.  

Vicky rodeou seu pescoço com os braços e o puxou para perto, quase colando seus corpos.

— Eu vi o jeito que você me olhou no desafio de hoje, só não se esqueça que eu não sou de ninguém. — Ela aproximou sua boca até o ouvido dele e sussurrou lentamente, para que ele pudesse entender. — Hoje à noite no quarto das Borboletas, não se atrase. — Vicky dá uma mordida em seu ombro e sai.

No quarto dos Golfinhos.

— Vocês viram o ar de superioridade enquanto ela respondia a pergunta da Sakina? — May disse e logo em seguida deu uma mordida em um sanduíche.

— Era tão perceptível que ela queria avançar em cima da Sakina se a Aurora não estivesse ali. Coitada, ainda não se conformou com a humilhação... — Rocky disse, despertando risos das garotas.

— Talvez o que faça a Vicky nos desprezar tanto seja sua futilidade, afinal, ela vive de aparências e nos enxerga apenas como cérebros. May, você está a tanto tempo tentando usar essa câmera mas nunca teve oportunidade, por isso eu tive uma ideia. Eu posso ajudar vocês com moda, cabelo, maquiagem, essas coisas... vocês se lembram do que a Lizzie disse uma vez no debate noturno? — Catherine disse, deixando May e Rocky confusas.

— Cathy, o que você tem em mente? — May perguntou preocupada.