FANDOM


A beira do sol nascendo, Eliott, segurando um balde, curva-se no jardim e começa a catar folhas caídas do chão, com olheiras marcadas em seus olhos. O garoto terminaria sua atividade estranha ali mesmo se não fosse a curiosa Violette, que o encara com um olhar avoado.

— Nossa, Eliott, minha mãe disse que não era pra falar com gente que anda por aí com plantas, mas não esperava que você fosse um deles!

— Violette? O que faz acordada a essa hora? — Ele se levanta rapidamente, com o balde de folhas em suas mãos — Eu pensei que as borboletas ainda estivessem dormindo!

— Eu acordei cedo e a Vicky mandou eu sair do quarto pra não incomodar o sono dela! Daí eu acabei vendo uma borboleta e segui ela até aqui, até achar você! O que você tá fazendo acordado a essa hora?

— Lizzie acordou às cinco da manhã e então me acordou aos tapas mandando eu fazer uma máscara facial personalizada pra ela.

— E vocês já são tão amigos pra fazer favores assim um pro outro?

— Ela ameaçou atear fogo na minha cama à noite se eu não fizesse isso.

— A minha avó ameaça atear fogo no meu cabelo sempre que eu ronco! Nossa, a gente tem tanto em comum!

— Temos?

— Claro que sim, a gente tá sempre pegando fogo e tudo mais… Seria o destino?

— Eu acho?

— Oh, Eliott! — Ela põe o seu pulso sob a testa e dança na ponta dos pés, dramaticamente, deixando Eliott visivelmente confuso.

No confessionário — Eu não entendi absolutamente nada do que aconteceu aqui… Mas focando no que importa, como se faz uma máscara com folhas caídas? Eu não quero tostar dormindo… — O confessionário acaba com Eliott olhando para o balde.

— Ei, aquelas duas não são da sua equipe? — Eliott pergunta, apontando para Penny e Sakina, que estavam andando juntas não muito longe dali.

— Elas são? Eu não sei. — Ela faz uma expressão confusa.

No confessionário — Mamãe sempre diz que eu sou um pouco esquecida, mas às vezes eu até acho legal, sabe? É divertido! — Violette diz, alisando seu cabelo com a mão — Teve uma vez que eu me perdi no shopping e um monte de guardas me levaram pra a sala dos alto-falantes pra chamar meus pais! Daí eu esqueci o nome deles! E então, os guardas perguntaram meu nome… e eu esqueci! Hahahaha!

— Ei, você sabia que eu sou bom em construir coisas? — Eliott disse, ficando vermelho, tentando impressionar Violette — Eu estou trabalhando num projeto de espaçonave portátil para garantir agilidade adicional na entrega de correspondência internacional. Tudo isso usando energia solar!

— Energia solar? Não é o sol que faz as plantinhas ficarem bonitas? — Violette parece intrigada — Ah, você faz coisas bonitas então?

— Bom, nada que seja tão lindo quanto o que você sabe fazer, com todo respeito.

— Eu sei fazer coisas bonitas? — Violette cora, colocando sua mão na bochecha — Ninguém nunca me disse que eu sabia fazer alguma coisa! Obrigada, Eliott!

— Você é tão talentosa, eu queria saber fazer metade do que você faz com essas… maquiagens e… saias? Em resumo, moda. Você é inteligente, de certo.

— Eu… sou? — Violette cora ainda mais, dando uma gargalhada e deixando Eliott ligeiramente confuso.

Dentro do porão, Pepper cozinha morcegos enquanto Vandella a assiste e o resto do time dorme.

— Então, por que você se inscreveu? — Pepper pergunta a Vandella.

— … — Vandella mantém o silêncio.

— Oh, faz todo o sentido! — Pepper responde o silêncio.

— … — Ela continua em silêncio.

— Uau, garota, você é um gênio! — Pepper responde.

A cena muda de volta, dessa vez para o quarto das Borboletas, com Vicky e Violette conversando.

— Tori, o que você diria se eu dissesse que estou gostando de alguém? — Violette pergunta, com um sorriso no rosto.

— Por que? — Vicky a olhou de cima para baixo. — Você está?

— Não! — Ela cora — Mas, o Eliott veio falar comigo hoje no jardim, e…

— Eliott? — Vicky diz, franzindo o cenho — Aquele nerd mané dos Golfinhos? Pft! Vio, você é melhor do que isso.

O interfone soa e a voz de Aurora ecoa pelo castelo. — Atenção, times! Compareçam ao jardim em meia hora! Apressem essas bocas!

— Mas já? — Vicky pergunta confusa, olhando na direção de onde vinha a voz de Aurora.

— Oh, Vicky, ele me elogiou! — Violette contava, sem esconder a alegria no rosto — Ele disse que sabe construir coisas, disse que estava trabalhando num projeto de parabólica portátil, ou alguma coisa assim. — Disse, despertando o interesse de Vicky.

— Ai, meu Deus! O Eliott combina tanto com você, amiga! — Vicky diz, manipulando Violette com seu talento nato. — O que mais ele te disse? — Perguntou, sentando na cama ao lado da amiga.

No confessionário — Quem diria que a Violette não seria só uma demente que não consegue lembrar nem do próprio nome, ela pode ser até útil. Útil, enquanto eu precisar. — Vicky coloca uma mão no queixo e o confessionário acaba.

Os times se reúnem no jardim e os Gorilas finalmente deixam o porão. Aurora puxa seu telão mais uma vez.

— Olá, jovens! Bem-vindos ao segundo desafio da competição! Vamos ao ponto! — Aurora usa seu bastão para criar um mapa dos arredores do castelo. — Seu primeiro desafio hoje é construir uma carruagem! — Ela aponta para o quartinho de ferramentas — O melhor design ganha, e a equipe com o melhor desempenho receberá um cavalo. — Aurora mostra um cavalo em seu telão. — E a pior… — Uma música de suspense toca por instantes, depois Aurora mostra um burro no telão.

— O que é essa coisa? — Hillary pergunta, erguendo a sobrancelha.

— Boa sorte a todos! — Ela toca no ícone de buzina na tela e os times correm.

— Então, o que faremos? — Law pergunta, olhando diretamente para Eliott e May.

— O que? — Eliott fica confuso com os olhares.

— Nada pessoal, mas vocês que são os inteligentes, então decidam logo o que vamos fazer. — Rocky asserta.

No confessionário — Tá bom, às vezes eu tenho a impressão de que aquela garota Rocky fala de um jeito muito agressivo, independente de ser intencional ou não. Mas, podemos trabalhar nisso! — May diz e o confessionário acaba.

— Esse desafio já era. — Todd diz, cruzando os braços.

— Por que você acha isso? — Sakina pergunta.

— Os Golfinhos sabem construir uma carruagem como se não fosse nada, os Gorilas têm força pra carregar as coisas, e nós, temos o que?

— Huh, dinheiro? — Hillary pergunta, confusa.

A cena muda para Vicky, que se aproxima dos Golfinhos.

— Oi, Eliott! — Ela diz, com um sorriso amigável. — Será que você pode vir conversar comigo, rapidinho?

— Mas, sobre o que você quer conversar?

— Ah, é um assunto pessoal! — Vicky puxa Eliott pelo braço para longe dos outros Golfinhos. — Sabe Eliott, a Violette passou a manhã toda falando de você.

— Ela falou? — Ele cora.

— Sim, só coisas boas! — Vicky ri, dando tapinhas nas costas de Eliott. — Ela também me falou que você é ótimo em construir coisas. Então, eu estava pensando, você pode nos ajudar nesse desafio, e em troca, eu te ajudo com a Violette. O que você acha?

No confessionário — Foi gentileza da Vicky se oferecer pra me ajudar com a Violette, mas eu nem sei ela gosta de mim. Ela só é linda, simpática e cheirosa!  — Ele cora, dando uma risadinha — O que eu estou dizendo? Eu nem sei se ela gosta de mim. — Eliott diz, cabisbaixo, e o confessionário acaba.

No confessionário — Imagina, ele acha mesmo que eu vou deixar ele formar uma aliança com a Violette assim? — Vicky ri. — Eu preciso do Eliott por perto enquanto ele é útil, mas, quando ele não for mais, ele roda. Simples assim! — Vicky coloca a mão na cintura, terminando o confessionário.

— O que vocês acham que a Vicky queria com o Eliott? — May pergunta.

— Não sei, mas eu não gosto daquela garota. — Rocky diz com ignorância. — Quando nós chegamos ela ficou destilando veneno sobre os concorrentes com a amiguinha mancomunada dela.

— Sério? — Law pergunta. — Quanta imaturidade, caso esteja falando a verdade.

— Você tá insinuando que eu estou mentindo? Ah, qualé, quando a sem-vergonha vier pra cima de ti você vai ver só! — Rocky perde a paciência, novamente, atacando Law.

— Ei! — Troye intervém. — Se acalma!

No confessionário — O descontrole dessa garota só prova o quanto o sistema de balanceamento de equipes é falho. — Lizzie debocha — Sem querer provocar, é claro, mas ela é claramente uma Gorila inata. — Ela ri e o confessionário acaba.

— Rocky, por favor! — Law tenta apaziguar os ânimos de sua colega — Não posso simplesmente confiar em acusações cegas dessa forma, vocês podem estar se desentendendo por um motivo fútil ou um mal entendido, afinal! Temos que ser imparciais!

— Ele está certo, Rocky! — May o auxilia no seu argumento, mesmo não tendo certeza de suas acusações — Olha, vamos manter um olho nela se é isso que você quer, mas por enquanto, tente focar mais em resolver seus problemas de estresse!

— Problemas de estresse?! — Rocky grunhe, batendo com a palma da mão em seu rosto — Ah, claro, o problema sou eu agora!

— Sim, fofa, o problema é você, pois enquanto nós discutimos sobre a Vicky que não fez literalmente nada até agora e está sendo atacada por uma descontrolada como você, os outros times estão completando o desafio! — Lizzie reclama, cruzando os braços e com uma expressão entediada — Eliott, seja de alguma utilidade, agora!

— Ah, eu, eu… — Eliott gagueja, mas rapidamente se recorda dos comentários animados de Violette sobre seu talento — Eu vou construir uma carruagem robótica! Isso! Vamos combinar a velocidade do nosso equino a um propulsor de ondas eletromagnéticas! Isso vai garantir a gente uma vantagem clara na corrida!

— Tá vendo, time? De nada! — Lizzie sorri maliciosamente — Eliott, vá trabalhar!

No confessionário — Eu sempre achei que meu destino fosse ser algo bem importante, talvez uma CEO ou outro tipo de chefe, eu sou ótima em mandar nas pessoas! — Ela lixa suas unhas no confessionário — Uh, que tal uma rainha? Eu me imagino muito com uma coroa! — Ela fantasia uma coroa, e o confessionário acaba.

A cena muda para as Borboletas.

— Ei! — Penny grita, passando a mão em frente ao rosto de Violette. — Você vai ficar aí sem fazer nada mesmo?

— O que ela está dizendo? — Violette pergunta, olhando para Hillary. — Desculpa, eu estava prestando atenção no meu esmalte! — Ela sorri.

— Ah, era só o que faltava, nós vamos nos atrasar mais ainda no desafio porque a patricinha não quer sujar as unhas! — Penny diz, colocando as mãos na cintura.

— Mas eu estou ajudando! — Violette afirma. — Dando apoio moral. Duh!

— Ah, por favor! — Hillary se levanta. — Não deve ser tão difícil assim montar essa coisa. — Ela inspeciona uma das peças que Aurora deixou. — Tá bom, alguém sabe pra que isso serve?

— Ah, minhas caras amigas, acalmem os ânimos e vamos trabalhar em harmonia! — Sakina comenta, sorrindo de forma doce e com voz suave — Vamos construir enquanto construímos nosso laço de companheirismo e amizade e prosperamos em nosso projeto coletivo! Vamos cantar uma canção, sempre nos une!

Sakina imediatamente começa a cantar, juntando peças uma por uma enquanto seu time a assiste com estranheza no olhar. Inesperadamente, os pássaros do castelo sobrevoam ao redor dela, carregando peças e montando junto com Sakina.

— Isso… — Penny, ainda de olhos arregalados com a excentricidade de Sakina, tenta formar uma sentença — É muito estranho… mas é melhor que vocês! Aprendam com ela!

— Ai, meu Deus! Gente, acho que eu consegui alguma coisa! — Hillary exclama, sorrindo e dando pulinhos.

— Uau! Você juntou duas peças que se encaixam. Parabéns! — Todd diz, com ironia.

Imediatamente, a peça que Hillary juntou se solta e voa para longe, acertando Bethany na cabeça e a nocauteando no chão.

— Ops! — Hillary expressa, coçando a cabeça.

— Acho que alguém devia ajudar a socorrer a Betúlia. — Violette diz.

Todd pressiona a mão contra o rosto e suspira.

— Vocês se preocupam demais! — Vicky comenta, retocando sua maquiagem — Tudo se resolve, eu já disse!

A cena muda, agora para os Gorilas.

— Pode deixar aqui! — Pepper diz animada, enquanto Tigre solta as últimas peças da carruagem que faltavam.

No confessionário — Se eu estou confiante? É claro que sim! Nós perdemos o último desafio, mas agora eu já estou sentindo o gosto da vitória! — Pepper ri e o confessionário acaba.

— Legal… — Damian diz. — Agora, alguém sabe por onde nós começamos a montar? — Ele levanta uma chave inglesa.

— Eu acho que já li algo sobre isso! — Tigre quebra o silêncio. — Vocês sabem né, internet, wikipédia, acho que já li algo sobre como construir uma carruagem.

— Então nos ajude!

— Mas eu não tenho certeza! Eu só acho que li.

— E por que você está dizendo isso se você nem sabe o que fazer? — Ele se irrita.

— Pena. — Vandella comenta, lendo um livro com uma capa peculiar.

No confessionário — Ah, não! Se as coisas continuarem assim, nós vamos perder a vantagem pra os Golfinhos. — Pepper diz. — Outra derrota é inaceitável! — Ela grita e o confessionário acaba.

De volta para as Borboletas.

— Ugh! Isso não está bom. — Violette comenta, erguendo a sobrancelha. — Essa é, tipo assim, a carruagem mais feia que eu já vi!

— É melhor do que nada! — Penny afirma. — Os nerds vão ficar disparados nesse desafio, então nós precisamos tentar pelo menos não ficar com o pior design. — Ela diz, martelando um prego.

— Eu até que estou gostando, admito. — Hillary diz, fazendo o mesmo. — AAH! Minha unha! — Ela grita, soprando o dedo.

No confessionário — Eu odeio esse programa! — Hillary chora e o confessionário acaba.

— Como vocês começam a fazer uma carruagem sem a minha ajuda? — Bethany diz, olhando para todos e com um saco de gelo na sua cabeça. — Sério, vocês precisam de mim!

— Jura? — Penny diz, com ironia. — Acabei de descobrir que nós precisamos esperar a branquela se tocar que o desafio começou pra poder agilizar as coisas, cancelem a carruagem!

— Você tem certeza? — Hillary pergunta. — Nós sofremos pra conseguir construir isso, e ainda assim, ficou tão brega!

— Ah, eu já falei que vocês se preocupam demais, relaxem! — Vicky comenta, lixando as unhas.

No confessionário — Eles são tão otários, que quase, quase dá pena. Mas eu também não julgo, até porque as burras estão me divertindo com o desespero. — Vicky diz e o confessionário acaba.

No confessionário — Penny é uma bruta enorme! Primeiro a Vacka e agora a periférica vai querer encher meu saco! — Bethany cruza seus braços — Ela não tem ideia de que eu fui eleita melhor construtora no anuário ano passado… além de melhor aluna, melhor ginasta, melhor estilo, melhor cabelo e melhor casal! E olha que eu era solteira! — Ela diz, se gabando, e o confessionário acaba.

No confessionário — E minha cor favorita é rosa, mais cinco — Violette conta, fazendo um quiz em uma revista feminina — Deu oitenta e sete pontos: significa que eu tenho tendências esquizofrênicas! Uh… será que é uma palavra em espanhol? — Ela faz um olhar sensual para a câmera — Soy mucho quiente! — O confessionário acaba.

Reunidos perto das três carruagens montadas e sozinhas, Eliott põe peças extra na carruagem de Vicky.

— E isso vai ajudar a manter a sustentação da carruagem e impedir que alguma virada brusca quebre tudo! — Ele diz, parafusando a roda — Não está nas melhores condições por serem peças baratas, mas acho que isso vai garantir sua posição no desafio!

— Oh, muitíssimo obrigada, Eliott! Eu sabia que podia confiar na sua inteligência! — Vicky diz, dando um abraço inesperado em Eliott, atuando como uma menina doce — Mas, e você?! Não se prejudicou por mim, né? O que você fez na sua carruagem?

— Eu até falaria, mas é melhor não contar!

— Imagina, somos amigos, afinal, qual segredo temos que guardar um do outro?

— Amigos? Tipo, de verdade? — Eliott fica estupefato por um momento, mas depois sorri — Nossa…

— Claro, eu estou te ajudando com a Violette e tudo mais, é como se fosse uma aliança! — Vicky dá o sorriso mais falso possível — Então, pode falar, minha boca é um túmulo!

— Se é assim… — Eliott cora, mas logo depois ganha confiança, lembrando de como seu time todo colocou esperanças nele — Eu aprimorei a carruagem com tecnologia pra aumentar a velocidade! É como se fosse um propulsor energizado pelo sol, tudo programado dentro daquela caixinha ali!  — Ele aponta para uma caixa azul diretamente abaixo da carruagem, colada com fita adesiva.

— Você é tão inteligente! E aposto que com seu cérebro enorme consegue conquistar a Vio! — Ela diz, provocando ânimo e timidez no garoto — Por que você não vai lá, agora mesmo, e elogia o cabelo dela? Ela adora isso mais que tudo, aposto que vai ficar vermelha que nem um tomate!

— Eu realmente dev…

— Vai logo! — Ela ordena, interrompendo seus protestos e fazendo o garoto ir embora, enquanto continua forçando o sorriso — Agora vejamos…

Ela se ajoelha ao lado da carruagem dos Golfinhos, abrindo a caixa e analisando os circuitos.

— Vou precisar de uma ajudinha pra isso, espero que minha internet funcione bem aqui! — Ela diz pra si mesma, tirando um smartphone de sua jaqueta e usando para pesquisar — Fio verde no fio vermelho, e vamos fazer isso quebrar bem na hora agá! — Ela troca os fios de lugar, fechando a caixa e escondendo seu smartphone novamente.

No confessionário — Otárieliott, vamos ver como vai ser sua vida a partir desse desafio! — Ela gargalha maleficamente, terminando o confessionário.

— Vicky? O que tá fazendo aqui? O desafio nem começou. — May se aproxima subitamente, bem a tempo de Vicky poder disfarçar.

— Oh, May! Que surpresa! — Ela dá uma gargalhada leve — Eu só estava checando minha carruagem uma última vez, eu estou muito nervosa das coisas não darem certo. Não acho que você entenda, já que é tão habilidosa!

— Habilidosa, entendo… — A garota responde num tom neutro — Obrigada, eu acho.

— Ai, de nada, amorzinho! Eu vou indo, ok? — Vicky se despede rapidamente, indo embora o mais rápido possível dali e deixando May com um olhar suspicaz.

No confessionário — Eu posso ser ingênua e coisa e tal, mas cega eu não sou! — May comenta — Eu vi Vicky ajoelhada ao lado de nossa carruagem, e eu temo que Rocky possa estar certa… — Ela suspira — Mas, como Law disse, não podemos acusar ninguém sem provas, eu irei esperar os resultados do desafio de hoje, e assim então tirar minha conclusão. — O confessionário acaba.

— Penny, querida! — Vicky diz, puxando a outra pelo braço — Eu estava mesmo querendo falar com você.

— O que você quer? — Penny pergunta, comendo salgadinho que pegou do castelo.

— Calma, não precisa ficar na defensiva! — Ela diz — Eu queria me desculpar por ter te chamado de favelada, foi mal mesmo, eu queria que você soubesse que eu te respeito pra caramba, a Bethany me deixou muito nervosa e eu nem pensei na hora!

— Aham, claro. — Ela encara Vicky com um olhar apático — Olha garota, você fica na sua, e eu fico na minha, pegou a visão?

— Claro, “parceira”! — Vicky dá uma risadinha e sai.

No confessionário — Olha aqui, Vicky pode até ter falado besteira — Penny reclama — Mas, eu tenho que ser uma pessoa que perdoa, nada de bom vem em não confiar no potencial de redenção dos outros. E uma aliada a mais nunca é ruim! — O confessionário acaba.

— Ei, Violette — Eliott se aproxima timidamente, já corando sem nem mesmo ter falado de verdade.

— Eliott, oi! — Violette sorri pra ele quase imediatamente, todas as Borboletas assistem a cena — Você quer algo?

— Eu só queria… an... Dizer que você tem um cabelo muito, muito bonito!

— Oun, Eliott! Você sabe como é, creme hidratante, óleo capilar, spray de cabelo, lavar o cabelo dia sim e dia não, tudo isso faz milagres! Eu já gastei pelo menos vinte e sete mil acumulado só pra alcançar esse tom, meus pais viajaram comigo pro Caribe só pra eu poder enxaguar o cabelo nas águas da praia e ter a certeza de que o tom seria absolutamente ideal. — Ela se anima completamente com um único comentário — Mas você deve entender, seu ruivo acastanhado deve ter sido uma fortuna!

— Meu… cabelo é natural, Violette.

— Então você só cuida, não é?

— Eu não sou do tipo que se importa muito com o que eu passo no meu cabelo… — Ele afirma, coçando a cabeça.

— Então… eu insisto! Eu vou fazer um tratamento perfeito no seu cabelo, vamos ter um dia de spa! Só eu e você… juntos! — Ela cora e começa a enrolar um fio de cabelo da sua franja no dedo indicador — Tipo, se você quiser, né!

— Eu adoraria passar um tempo com você! — Ele também cora.

— A Violette encontrou o príncipe dela… — Hillary assoa o nariz em um lenço descartável. — Eles são tão lindos juntos!

— Egh! Sai pra lá, estranha! — Bethany empurra Hillary.

Os alto-falantes do castelo soam com a voz de Aurora — Todos para o jardim, hora de avaliarmos suas carruagens!

No confessionário — Nem o conhecimento da wikipédia a qual eu praticamente memorizei foi suficiente pra ajudar meu time! Eu estou começando a pensar que eles não merecem um lugar nas minhas redes sociais super badaladas! — Tigre comenta, praticamente anunciando a si mesmo, e o confessionário acaba.

Aurora se aproxima das carruagens, fazendo um bico enquanto escrevia em sua prancheta, todos os competidores olham para ela com nervosismo, até que ela se vira na direção deles.

— Ok, tomei minha decisão… — Aurora aperta o botão de sua caneta — Os Golfinhos vencem essa etapa do desafio, com o melhor design!

Os Golfinhos comemoram, mas Bethany rapidamente intervém.

— Tá, tá, e o segundo lugar, quem ganhou?

— Ah, sim, foram vocês. Parabéns Borboletas! — Ela bate palmas leves — E foi mal, Gorilas!

— Outra derrota, na moral? Duas vezes seguidas? — Pepper comenta, estressada.

— Também, o que o time têm de músculos falta de cérebro. — Bethany alfineta.

— Fica na sua, magrela! O seu time não têm nenhum dos dois! — Pepper retruca, chutando Bethany na barriga e a nocauteando no chão novamente.

— Que triste, mas achei necessário, não tenha medo de repetir! — Lizzie comenta, com um sorriso no rosto.

— Necessário e sensual… Uau! — Luke comenta, deixando Pepper confusa.

— Nananinanão! Vão lavar roupa suja em outro lugar! — Aurora estala os dedos. — Aqui estão suas recompensas! Golfinhos, um cavalo, como o prometido. — Ela aponta para o cavalo e os Golfinhos comemoram.

— Parabéns! — Vicky sorri, colocando sua mão no ombro de Eliott.

— Borboletas, por ficarem em segundo lugar, vocês ganham um pônei! — Ela aponta para o pônei.

— Um pônei? — Violette grita — Ai, meu Deus! Eu sempre quis um pônei!

— Amiga, olha o vexame! — Hillary cobre a boca de Violette com a mão.

— E para os Gorilas, nosso queridinho do estábulo… — Aurora chama um burro velho e fedorento — O Herbert!

No confessionário — Isso é algum tipo de piada? Porque, não tem graça. — Damian cruza os braços e o confessionário acaba.

— Isso é sacal. — Vandella comenta, encarando o burro sem expressão, que flatula em resposta — Sinto o mesmo.

— Eu desisto desse time! — Pepper dá um tapa no seu próprio rosto.

— Oh, criatura dócil, você é uma gracinha! — Sakina se aproxima do seu pônei, o abraçando — Você emana coisas tão boas, espero que nós de um bom resultado hoje.

Damian assiste Sakina conversar com o pônei, que a responde visivelmente com relinchos e carícias. Ele se aproxima do seu burro e tenta iniciar uma conversa.

— Olá, tudo bem?

— Não, Damian, esse é o cúmulo, misericórdia! — Luke balança a cabeça em negação.

— Ah, qual é, ele não é tão ruim assim! — Damian dá um cafuné na crina de Herbert, que em resposta lambe sua mão — Eu acho… que ele gosta de mim!

No confessionário — O intuito de conversas com os animais é o suficiente pra lhe tornar uma pessoa que procura o bem da natureza, mesmo que você não tenha muito sucesso! Estou orgulhosa do Damian! — Sakina sorri e o confessionário acaba.

Os competidores se reúnem numa linha de chegada. Damian, Todd e Eliott assumiram o posto de competidores da corrida, e estão montados em suas carruagens alinhadas um do lado da outra.

— Por que deixamos o Todd cavalgar, mesmo? — Bethany pergunta ao seu time, com outro saco de gelo na cabeça — Eu não sei, estava inconsciente.

— Honestamente, alguém mais iria se voluntariar? — Penny declara — Eu não acho que a mocinha tenha habilidade com cavalos.

No confessionário, Bethany balança a cabeça animadamente — Campeã Júnior de Equitação! Ha! Ha! — O confessionário acaba.

— Ele não tem unhas pra arriscar! — Hillary explica, olhando suas próprias unhas — É muita coisa em jogo.

— Okay, meninos. — Aurora fala de um palanque ao lado das carruagens — Vocês tem que dar uma volta pelo castelo e voltar pra cá, um drone vai seguir vocês com uma câmera e nós iremos assistir pelo telão. O primeiro time a completar a volta é um vencedor, e o último, irá pro porão.

— Vai Eliott, acaba com a raça deles! — Lizzie grita, dando apoio — Nada pessoal.

No confessionário — Eu juro por Deus que se formos pro porão de novo, eu mato o Damian! — Pepper rosnou, já furiosa, e o confessionário acaba.

— Três, dois, um! Avante! — Uma buzina soa, comandada pelo celular de Aurora, e todos os corredores avançam, mas Herbert é muito mais vagaroso que os outros.

— Ah, qual é! — Damian suspira em irritação — Você consegue, Herbert!

— Aí cara, você já era! — Todd fala, enquanto o ultrapassa.

No confessionário — O plano de um reality show é simples, primeiro você encontra o elo inimigo mais forte — Vicky lista, usando seus dedos para contar — Depois, você o analisa. Então, é só você o destruir, e nesse caso, a destruição só demorou exatos vinte e sete segundos! — Ela sorri maliciosamente e o confessionário acaba.

Enquanto a corrida acontece, Eliott sente algo esquentar atrás dele, virando-se para encontrar a caixa propulsora pegando fogo, imediatamente entrando em pânico.

— Mas o que é isso? — Ele grita, mas imediatamente a caixa explode, o jogando pelos ares e atordoando Herbert, que corre de forma exageradamente rápida como resultado.

Todd é facilmente ultrapassado pelo burro em disparada, dando uma volta inteira no castelo em questão de segundos e cruzando a linha de chegada, com Todd logo atrás.

— Vices de novo? Ah, qualé! — Penny bufa, cruzando os braços.

— Parabéns, Gorilas, vocês são os vencedores de hoje! — Aurora anuncia, fazendo os Gorilas vibrarem.

— O poder da Wikipédia! — Tigre comenta orgulhosamente.

— Golfinhos, vocês já sabem! — Aurora aponta para Eliott — Não tiveram um bom desempenho, e é hora de um de vocês ir embora!

— Parabéns, Eliott, você matou nosso time! — Lizzie bate palmas sarcasticamente, mas Rocky rapidamente argumenta contra ela.

— Você botou pressão nele, loira oxigenada! Tem tanta culpa pela nossa derrota quanto ele!

— Aaaaah… — Eliott geme, com o rosto ainda cheio de pólvora.

No confessionário — O motor de Eliott explodiu, e isso só pode significar uma coisa… Vicky! — May realiza, e o confessionário acaba.

— Você sempre foi bom assim com animais? — Vicky sorri para Damian. — Foi uma derrota, eu admito, mas você foi impressionante!

— Eu… — Damian gagueja — Olha, será que hora outra conversar pode a gente? — Ele diz, deixando Vicky confusa.

— Climão, hein! — Pepper debocha, olhando para Damian junto com Logan. — Vamos, não temos tempo a perder! — Ela puxa o outro pelo braço.

A cena muda para o porão, onde os Golfinhos esperam os resultados.

— Os nomes que eu falar a seguir estão salvos… —  Aurora inicia mais uma cerimônia — Law…

Ela joga um brioche nas mãos de Law.

— Catherine… May… Troye… — Ela anuncia, jogando os brioches — Apenas dois brioches sobrando, para três competidores. Eliott, você prejudicou a sua equipe no desafio graças a sua invenção. Lizzie, você colocou pressão no Eliott no momento em que ele mais precisava de apoio. Rocky, a sua falta de controle está deixando os seus companheiros de equipe assustados. — O clima fica tenso por minutos, Eliott arregala os olhos, Lizzie encara Rocky com uma expressão de ódio. — Lizzie! — Ela joga um brioche na mão de Lizzie.

No confessionário — Eles não estão nem loucos de tirar a única do time que ainda tem um pouco de sanidade mental. — Lizzie cruza os braços e o confessionário acaba.

— E o último brioche da noite vai para… — O clima fica tenso por instantes — Rocky! — Ela joga um brioche na mão de Rocky — Eliott... Sinto muito, mas você é o eliminado de hoje!

— Sinto muito, time, eu realmente mereci! — Ele lamenta, aceitando sua eliminação.

— Supostamente… — May, ainda pensando sobre Vicky, ponderou.

— É sua hora de ir pra dama, Eliott! — Aurora aponta para a dama e se aproxima dela.

— Vou sentir falta de ter um escravo pessoal, see you, Eliott! — Lizzie se despede sem olhar pra trás, comendo seu brioche sem sequer levantar.

Eliott se prepara para entrar na dama, mas é parado por uma voz súbita que acaba de descer para o porão.

— Eliott, espera! — Violette corre até perto da dama, segurando o braço de Eliott — Eu não queria que você fosse embora tão cedo! Ainda tínhamos tanta coisa legal pra fazer juntos!

— Violette…? — Ele seriamente se pergunta o que ela faz ali — Você me quer por perto?

— Sim, eu tipo… — Ela cora, virando o rosto pro lado — Gosto, gosto de você!

— Eu… — Ele é tomado de surpresa pela confissão — Eu também… gosto, gosto de você!

— Blá, blá, blá! — Aurora resmunga — Isso não dá ibope! Tchau, Eliott! — Aurora empurra Eliott para a dama.

— Vou sentir sua falta! — Violette manda um beijo para ele, antes que a dama se feche, o levando embora misteriosamente — Ah, o Eduardo é tão legal…

— Isso é tudo por hoje, pessoal! Não deixem de acompanhar o próximo episódio de Drama Total: O Castelo Assombrado! — Aurora grita animadamente.

A cena muda para a noite no porão, onde apenas May e Rocky continuam acordadas.

— Rocky, eu acredito em você! — May afirma como se Rocky soubesse exatamente do que ela estivesse falando, mas depois específica — Vicky é sim uma pessoa má! Eu a peguei mexendo na carruagem de Eliott antes do desafio começar!

— Bom, pelo menos alguém tinha que ter bom senso por aqui! — Rocky sorri — Afinal, meus instintos nunca erram!

— Eu temo que ela tenha sido responsável por nós eliminarmos Eliott hoje, ele era um membro forte com sua inteligência, afinal!

— E talvez ela foque você na próxima! — Rocky expõe — Mas, tudo bem, eu vou ficar do seu lado de agora em diante!

— Como uma aliança contra a Vicky?

— Uma aliança contra a Vicky! — Rocky estende a mão e May aperta, as duas trocando um sorriso.

A câmera muda para Lizzie, com um olho aberto olhando para May e Rocky. Ela fecha o olho, terminando o episódio.